Fundação Escola Superior de Direito Tributário - FESDT
Fundação Escola Superior de Direito Tributário - FESDT
 
MATÉRIAS // Notícias  
 
Ex-presidente do Carf diz que defendeu empresas em processos tributários depois que deixou o órgão


O ex-presidente do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) Edison Pereira da Silva e a filha dele, Meigan Sack Rodrigues, também ex-conselheira do órgão, se recusam a responder perguntas de deputados da CPI do Carf a respeito da acusação de envolvimento em corrupção em julgamento de recurso apresentado pela empresa Laser Tech Comércio e Importação de Eletrônicos contra autuação da Receita Federal.


Além de Edison e Meigan, foram convocados a depor pela CPI do Carf o advogado Tharyk Jaccoud Paixão e o também ex-conselheiro Guilherme Pollastri Gomes da Silva.


Edison e Meigan estão amparados por um habeas corpus que dá a eles o direito de não responder as perguntas dos deputados.


Pai e filha foram denunciados pelo Ministério Público por suspeita de tentar interferir em julgamento da empresa Laser Tech Comércio e Importação de Eletrônicos. De acordo com a denúncia, Edison e Meigan teriam usado os serviços do advogado Paixão para cooptar o então conselheiro do Carf Guilherme Pollastri Gomes da Silva.


O grupo teria oferecido entre R$ 30 mil e R$ 50 mil para que Pollastri pedisse vista do processo.


“Em uma conversa captada pela Polícia Federal, a senhora Meigan fala com o senhor que conversou com Guilherme (Pollastri) a respeito de um pedido de vista, inclusive mencionando valores. O que o senhor tem a dizer sobre isso?”, perguntou o deputado Izalci (PSDB-DF).


“Lamento, mas vou usar meu direito de ficar em silêncio porque já estamos nos defendendo a respeito disso na Justiça”, disse Edison. Meigan repetiu a mesma reposta.


O ex-presidente do Carf disse apenas que atuou como consultor e na defesa de empresas em processos tributários depois que deixou o Carf.


Ele foi sócio da empresa de consultoria SGR junto com outro lobista acusado de envolvimento em corrupção no Conselho, Eivany Antonio da Silva, pai do advogado, ex-conselheiro e também investigado José Ricardo da Silva. Segundo Edison, ele deixou a empresa em 2009.


“Mas como o senhor indicou sua filha como conselheira?”, perguntou Izalci. “Eu não tive nenhuma influência nisso. Ela foi indicada pela Confederação Nacional do Comércio depois de se candidatar por iniciativa própria”, disse.


A reunião continua no plenário 7.


Mais informações a seguir


Acompanhe a transmissão no canal oficial da Câmara dos Deputados no YouTube



Fonte: Agência Câmara de Notícias

 

Comentários

Não há comentários para esta notícia

Nome CPF *Somente números E-mail
Comentário
 


 

 
AGENDA
CADASTRE-SE APOIO
Preencha os campos abaixo para receber nossos informativos.
Nome:
E-mail:
 
Informativos Enviados  
Acesse aqui para visualizar os informativos já enviados.
   
 

voltar

 
Institucional Agenda Matérias Fale Conosco  
Quem Somos Congressos Publicações Dúvidas e Sugestões Rua Mariante, 284 / 704 | Rio Branco
CEP 90430-180 | Porto Alegre, RS
Telefone: (51) 3029 5307
Finalidade Seminários/Simpósios Revista FESDT Associe-se
Conselhos Cursos/Ciclo Palestras Notícias Fale com o Presidente
Membros Ativos Café Diálogos Tributários Artigos e Teses Localização  
Instituições Conveniadas Concurso de Monografias Informativos   Criação: Ponto Online Marketing Digital